segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Anjos do Em Cena: Fernanda Petit


Ser anjo do Em Cena


Ser anjo
Faz 6 anos
6 anos que pus as minhas asas
Conheci outros países, outras cidades
escutei outras línguas
vi outros teatros
troca, troca, muita troca.
Cada ano, recebo de um Querubim a incumbência de "cuidar" de anjos da arte.
Pessoas que brincam com teatro, que enchem a cidade de Porto Alegre com um outro teatro,
Trazem novas possibilidades, adaptações, entregas, gritos, silêncios,
cores, costumes, críticas, inquietações.
A cidade e nós somos arrebatadas por um mês de vida pulsante.
Saímos bagunçados de salas de teatros.
Saímos felizes com uma esperança na nossa profissão.
Saímos críticos, bebendo em bares e discutindo em mesas.
Dançamos juntos com outras pessoas em festas.
Tudo se inicia no inverno e termina no início da primavera
O Em Cena nos deixa menos cinza,
Menos melancólico
Eu espero abrir as asas durante todo ano.
Pareço uma criança esperando o aniversário chegar
Como se fosse reunir vários amiguinhos legais, todo mundo em volta da mesa esperando o melhor pedaço do bolo.
Eu sinto borboletas na barriga...
Sei que, depois do fim de tudo, viro aquário por um dia
as asas ficam um pouco encharcadas de lágrimas
porque sinto o carinho no peito
O carinho e as coisas doces nascem durante alguns dias de contato com as pessoas
A despedida para o anjo é necessária.
Sinto que cada grupo que "protejo”, que cuido, que levo para comer
é como se eu desse um novelo para cada um, que nos liga.
Dentro de um tempo, ele vai ser cortado.
Enquanto não se corta,
fazemos um lindo desenho colorido
com novelos no festival.
O motorista se torna o melhor amigo
Os restaurantes sua mesa de jantar da sala
Todo ano, no festival, a cidade fica cinza
chove muito
e sempre quando acaba
os grupos comentam que vem o sol
Você recebe um envelope
lá está nome de pessoas que você vai cuidar
19 pessoas?Um susto
4? Ah! Mais tranqüilo...
Ao abrir o envelope, se descobre o inesperado.
Um anjo dorme com o celular grudado ao ouvido.
Troca dia pela noite,
Noite pelo dia.
O relógio batendo no pulso
Uma briga com o tempo
Uma briga com os neurônios para organizar tudo
Cada ano, temos uma Logist Team perfeita.
Uma turma enrolada em fios de telefones.
Muitos cigarros para acalmar a loucura do dia
O Casarão cheira novidade.
Tem uma risada que sai pelas janela
O telefone tocando
Papéis de aviso na parede
Uma união inexplicável
Ligações a cobrar
Tickets de refeição que tomam conta da minha bolsa
Crachás que se enrolam
Sacolas de presente
Nomes para serem decorados
Expectativas
Aeroporto
Correndo
Plaquinha (nuvem) nas mãos
O nome do grupo... Todos te olhando no aeroporto (que situação!)
Ai! Cadê meu grupo?
Ai! Chegaram!
Eis que saem do aeroporto inúmeras pessoas com malas
Com vontades.
Te abraçam
Sorrisos
Sono
Troca de energia
Ali está o primeiro contato
E você torce que seja bom e se esforça para que seja bom
Todos anos, tenho grupos de los hermanos
Me gusta uruguaios
Fico em festa
Os dias que se sucedem são de surpresa e alegria
Sinto que é como brincar no céu e poder tocar as nuvens fazendo formas
Não me sinto pesada
As responsabilidades são cumpridas e cada dia é mais um motivo
de pôr os óculos escuros
se arrumar
e organizar tudo.
Cada dia tenho mais certeza de que quero ser atriz
Viver perambulando pelos teatros
Você ser teatro num todo
Poder ajudar
Eu sou muito feliz em poder ajudar
Este ano, em especial, tive a chance de poder estar atuando no festival
e ter esta troca como atriz
Nunca estive tão feliz
pelo festival
pela equipe
pelas pessoas que conheci.
Eu poderia dizer muitas coisas em ser anjo
e tudo poderia ser piegas.
Posso só dizer que sinto felicidade
Que sim o Festival Porto Alegre tem uma organização
um respeito pelo artista
pela cidade
Tem várias coisas borbulhantes e agradecidas dentro de mim neste momento
Vou guardar no meu álbum mais bonito
Vou por ali no cabide
as minhas asas
guardar no armário
Pôr na caixinha de lembranças boas , todos os sorrisos de satisfação dos meus grupos.
Dar um parabéns a todos os anjos
que, como eu ,devem estar felizes e cansados.
Durmam bem em suas nuvens!
Próximo ano, vamos voar!
Vou calçar meus sapatos vermelhos
e dançar um pouco na chuva, pois quero transformar o "vazio" que fica
numa saudade
num extraño
bem doce.
Vou pôr o pijama, pois todo ser do festival merece uma cama
com lençol novo e um solzinho no rosto.
Que seja doce.
Até asas
Este ano foi muito lindo


*

Fernanda Petit- "sortuda " em ser anja há 6 anos no Porto Alegre em Cena

2 comentários:

Morpheus disse...

Petit, Petit...
Tinham que ser tuas essas (belas) palavras.
Parabéns!
A ti, ao festival, a todos que trabalharam na produção.

sidney disse...

Sorte dos que tiveram a oportunidade de contar com uma Anja tão linda e inteligente! Parabéns pelo texto!